LIFS é uma Associação civil sem fins lucrativos, formada por ativistas lésbicas feministas e socialistas. O LIFS foi constituído desde julho de 2005. Seu objetivo geral é fortalecer os processos políticos no movimento lésbico feminista através da criação e organização de grupos, da implementação de políticas públicas em favor das lésbicas e a geração de espaços para discussão e debate lésbico feminista, que garantam um posicionamento político sociocultural a nível nacional e internacional.

ACÇÕES

Campanha Existimos: Cujo objetivo esse ano foi “Analisar a conjuntura nacional e regional e os efeitos que têm sobre nossas vidas, sobre a população LGBT; propor e especificar estratégias conjuntas para a implementação de nossa agenda prioritária”.

 

Escolas de Debate Político “Ágora Les”: Desde 2015, iniciou a escola em Lima, foi criado um espaço de cuidado e de muito respeito, onde semanalmente ocorrem discussões e debates feministas. Participam lésbicas e pessoas trans.

 

Incidência em Instâncias do Estado: Banca de Trabalho Lésbicas no Ministério da Mulher, Grupo de Trabalho Nacional de Acompanhamento ao PNCVG, Grupo de Trabalho DD.HH, LGBT, no Ministério da Justiça, Acompanhamento ao PNDDHH.

 

Caso Emblemático “Tenho Duas Mães”: Em parceria com a DEMUS, é feito acompanhamento ao caso de Jenny e Darling para o reconhecimento da maternidade.

LIFS é uma Associação civil sem fins lucrativos, formada por ativistas lésbicas feministas e socialistas. O LIFS foi constituído desde julho de 2005. Seu objetivo geral é fortalecer os processos políticos no movimento lésbico feminista através da criação e organização de grupos, da implementação de políticas públicas em favor das lésbicas e a geração de espaços para discussão e debate lésbico feminista, que garantam um posicionamento político sociocultural a nível nacional e internacional.

ACÇÕES

Campanha Existimos: Cujo objetivo esse ano foi “Analisar a conjuntura nacional e regional e os efeitos que têm sobre nossas vidas, sobre a população LGBT; propor e especificar estratégias conjuntas para a implementação de nossa agenda prioritária”.

 

Escolas de Debate Político “Ágora Les”: Desde 2015, iniciou a escola em Lima, foi criado um espaço de cuidado e de muito respeito, onde semanalmente ocorrem discussões e debates feministas. Participam lésbicas e pessoas trans.

 

Incidência em Instâncias do Estado: Banca de Trabalho Lésbicas no Ministério da Mulher, Grupo de Trabalho Nacional de Acompanhamento ao PNCVG, Grupo de Trabalho DD.HH, LGBT, no Ministério da Justiça, Acompanhamento ao PNDDHH.

 

Caso Emblemático “Tenho Duas Mães”: Em parceria com a DEMUS, é feito acompanhamento ao caso de Jenny e Darling para o reconhecimento da maternidade.

Mais de

23

pessoas LGBTI foram mortas em

Peru

entre 2014 e 2019

RELATÓRIOS DE VIOLÊNCIA NO PERU